Moda: Estilos, identidades e personalidades são temas que sempre serão atemporais e com o surgimento de novas tendências e o empoderamento de etnias e raças que eram silenciadas pela sociedade hoje ganham voz.

Apesar da moda ter surgido em meados do século XV bem no começo do renascentismo na Europa, o nome moda é provém do latim “modus”. Essa variação de características na vestimenta teve inicio para diferenciar estilo que antes não possuíam essa denominação que predominava no mesmo padrão desde seu inicio até sua morte.

Já na idade média, as roupas já eram diferentes com seguimento de um padrão que se ajustava segundo sua classe social, neste período houve até leis para restringir cores e tipos de tecidos somente aos nobres da época.

Para a burguesia que não possui título de nobreza, mas era rica, começou a reproduzir o estilo dos nobres o que gerou um imenso trabalho aos costureiros que a partir daí, eram impostos a reproduzir diferentes estilos para diferenciar os nobres dos burgueses e com a revolução industrial no século XVIII, o custo por insumos teve drástica diminuição e em 1850 com a invenção das máquinas de costura o custo dos tecidos caiu ainda mais.

A excentricidade na história da moda é associada ao rei Luís XIV que é amplamente conhecido dentro da moda como o percursos da moda extravagante cuja ideia era enfatizar a superioridade francesa através da vestimenta.

Ao se contar a história da moda é impossível não mencionar Charles Frederick Worth, um artesão responsável por abrir o primeiro ateliê de alta-costura em 1858, em París. Worth ficou eternizado na moda. O estilista inglês é lembrado por substituir a crinolina peça aquilina, uma espécie de amarração utilizada para dar volume aos quadris e os glúteos femininos.

Hoje em pleno século XXI muito se tem de variedade de estilos, que realçam a personalidade e exalam a natureza de cada um e com isso vemos uma enxurrada de cabelos coloridos, roupas alternativas, moda street, moda afro e muito mais.

Moda Afro: Conheça essa tendência

moda afro tem se tornado cada dia mais popular, pois com o empeadoramente da mulher negra tem se visto mais representatividade de marcas de moda afro trazendo todo o estilo das estampas vindas da mãe África. Inclusive vemos uma onda crescente de mulheres assumindo seus cabelos naturais sem se forçarem a seguir um padrão que por anos foi inserido como uma imposição que feria a construção da identidade da mulher afro.

Muito se via no passado o preconceito com a raça negra e não que hoje tenha mudado completamente, mas vem sido trabalhado e combativo, afinal em sociedade moderna as pessoas precisam de espaço para mostrarem seus talentos, conceitos e trabalhos.

Vestir uma roupa africana é muito usado tecidos capulana e wax, são tecidos africanos 100% algodão que trazem muito estilo, impacto e personalidade que aliados a acessórios afro certamente irão compor um look arrasador que fará com que homens e mulheres virem o pescoço para acompanhar tamanho esplendor.

Há uma marca promissora que tem aliado alta-costura, peças com caimento que valorizem a silhueta feminina que tem obtido grande impacto nas redes sociais em especial o Instagram que está sendo bombardeado de publicações que estão deixando mulheres de boa aberta.

É necessário reforçar que a moda tem sua própria identidade e não podemos nos restringir a conceitos de uma sociedade, onde há duas postagens que abordam muito do conteúdo trazido acima, o primeiro é sobre o desenvolvimento de moda afro,já o segundo com uma diretora da rede municipal de São Paulo muito envolvida em engajamento social.

You May Also Like

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *